segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Resenha: Belo Desastre

Postado por Mayara às 19:42
Reações: 
3 comentários
Sinopse: Abby Abernathy é uma boa garota. Ela não bebe nem fala palavrão, e tem a quantidade apropriada de cardigãs no guarda-roupa. Abby acredita que seu passado sombrio está bem distante, mas, quando se muda para uma nova cidade com America, sua melhor amiga, para cursar a faculdade, seu recomeço é rapidamente ameaçado pelo bad boy da universidade. Travis Maddox, com seu abdômen definido e seus braços tatuados, é exatamente o que Abby precisa – e deseja – evitar. Ele passa as noites ganhando dinheiro em um clube da luta e os dias seduzindo as garotas da faculdade. Intrigado com a resistência de Abby ao seu charme, Travis a atrai com uma aposta. Se ele perder, terá que ficar sem sexo por um mês. Se ela perder, deverá morar no apartamento dele pelo mesmo período. Qualquer que seja o resultado da aposta, Travis nem imagina que finalmente encontrou uma adversária à altura. E é então que eles se envolvem em uma relação intensa e conturbada, que pode acabar levando-os à loucura.

Belo Desastre de Jamie McGuire.
Nota: 5/5
Gênero: Romance.
Número de páginas: 389
Sites para compra: Submarino por R$34,90; Saraiva por R$34,90; Sicilianopor R$34,90; Livraria Cultura por R$39,90;

  | Bem, eu vou começar dizendo essas simples palavras: este livro é perfeito.
De início, a capa não pode ser entendida, mas se dor dedicado o mínimo de atenção pode se fazer a ligação do nome com a borboleta presa, como se o amor dos personagens principais só percebem no que se meteram quando se pegam aprisionados dentro desse sentimento, ocasionando um belo desastre.
O romance conturbado dos dois não é brincadeira, e não existem personagens malvados fazendo armações para que o lindo casal principal se separe. Existem apenas duas pessoas que tem um passado, tem problemas e precisam aprender como viver juntos e superar tudo isso.
Primeiramente, irei falar sobre a Abby. Muitas das críticas mais famosas de “Belo Desastre” traziam o Travis como o personagem que fazia você dar voltas com os seus sentimentos, ora o odiando, ora o amando. Eu, pelo menos, senti isso com a Abby, e não com ele. 
Ela é uma garota que tenta a todo custo assumir uma vida normal e segura, mas que desde o início está na cara que não tem nada a ver com ela. Com ótimas notas e roupas comportadas, ela está tentando se manter longe do Travis por motivos que ficam desconhecidos em boa parte do enredo, resumindo-se apenas em seu passado. Eu a amei pelo fato de ser uma personagem forte e inteligente, que sabe o que quer, e a odiei por, muitas vezes, deixar de usar a inteligência. Sem querer ofender. O meu grande problema com a Abby foi ela ser tão solúvel em suas decisões, sempre muito dividida, em dúvida. Mas quando ela tomava aquela decisão, ninguém a fazia mudar de ideia, a menos que ela quisesse, e isso me fez amá-la e odiá-la inúmeras vezes durante a leitura.
Já o Travis sempre foi do tipo decidido. Além de ser extremamente fofo, mas ainda sim cometer inúmeros erros. Em minha opinião, muitos dos erros deles foram justificáveis, já que ele nunca entrou em um relacionamento sério e com a Abby é como se ele estivesse pisando em ovos. 
A família dele é incrível, também. Os irmãos dele são descontraídos e aceitam a Abby com uma incrível habilidade, e o pai dele é sábio, por assim dizer. Então, se apaixonar pelo Travis é tão fácil quanto se apaixonar pela Abby.
Existem também o Shepley, primo do Trav, e a America, melhor amiga da Abby, e por um acaso eles são um casal. Um incrível casal, diga-se de passagem. Os dois personagens são incrivelmente engraçados, e a cada página você se pega pensando que adora eles, que quer mais deles na história também. E você não se decepciona.
O que mais conquista em “Belo Desastre” é que a história é clichê ao mesmo tempo que é original, e quando você percebe está enrolando para ler o livro porque terminar se torna uma ideia quase insuportável. É cheio de emoções, e é incrível acompanhar enquanto os personagens vão amadurecendo, crescendo, e por fim, amando. Eu recomendo o livro porque todos devem saber como esse desastre é realmente belo.
 

Otome Nerd Copyright © 2012 Design by Antonia Sundrani Vinte e poucos